24 de abril de 2024

Esoterismo Sagrado

Por R. Rosental

Aleister Crowley: O Mago Negro que Desafiou Deus – Parte 1

5 min read
aleister crowley

aleister crowley

Aleister Crowley, nascido Edward Alexander Crowley em 12 de outubro de 1875, é uma das figuras mais enigmáticas e controversas do século XX. Sua vida e obra continuam a atrair tanto admiração quanto repulsa, e ele é frequentemente lembrado como um ocultista, poeta, escritor, e montanhista, além de ter sido um influente membro de várias ordens esotéricas.

Infância e Educação

Crowley nasceu em uma família rica e fundamentalista cristã. Seu pai, Edward Crowley, era membro da seita dos Irmãos de Plymouth, e sua mãe, Emily Bertha Bishop, compartilhava de crenças religiosas rígidas. Após a morte prematura de seu pai, Crowley começou a rejeitar os dogmas religiosos de sua família, uma rebelião que continuaria pelo resto de sua vida.

Ele frequentou o Trinity College, em Cambridge, onde estudou filosofia e literatura. Durante sua estadia em Cambridge, Crowley começou a explorar sua sexualidade e teve relações tanto com homens quanto com mulheres, algo bastante controverso para a época.

Carreira e Exploração do Ocultismo

Crowley se envolveu profundamente com o ocultismo em 1898, quando se juntou à Ordem Hermética da Aurora Dourada (Golden Dawn), uma sociedade secreta que praticava magia e ocultismo. Durante seu tempo na Golden Dawn, Crowley teve desentendimentos com outros membros, incluindo William Butler Yeats, o que eventualmente levou à sua saída da ordem.

Em 1904, durante uma viagem ao Egito, Crowley alegou ter recebido uma revelação de uma entidade chamada Aiwass. Esta revelação, que ele transcreveu no que viria a ser conhecido como “O Livro da Lei”, formou a base da filosofia religiosa que ele denominou Thelema. Thelema é centrada no princípio de “Faz o que tu queres”, que Crowley interpretou não como um convite ao hedonismo, mas como um mandamento para seguir a verdadeira vontade individual.

Vida Pessoal e Controvérsias

A vida pessoal de Crowley foi marcada por controvérsias. Ele era conhecido por seu estilo de vida hedonista, incluindo o uso de drogas e a prática de rituais sexuais, que eram parte de suas crenças espirituais e mágicas. Crowley também tinha uma reputação de ser manipulador em seus relacionamentos pessoais, o que frequentemente causava conflitos com aqueles ao seu redor.

Contribuições Literárias e Culturais

Além de suas práticas ocultistas, Crowley foi um escritor prolífico. Ele publicou numerosos livros sobre magia e ocultismo, bem como poesia e ficção. Seus trabalhos mais conhecidos incluem “O Livro da Lei”, “Magick in Theory and Practice” e “The Book of Thoth”, um tratado sobre o tarô.

Principais Rituais

Aleister Crowley é conhecido por uma série de rituais e práticas mágicas que ele desenvolveu ou adaptou ao longo de sua vida. Muitos destes se tornaram famosos, tanto por sua natureza inovadora quanto por sua controversa associação com o ocultismo. Alguns dos rituais mais notáveis incluem:

  1. Ritual da Gnosis: Este ritual envolve a utilização de estados alterados de consciência para alcançar a gnose, ou conhecimento espiritual profundo. Crowley empregava métodos como a meditação profunda, a recitação de mantras, e até o uso de substâncias psicoativas para facilitar essas experiências.
  2. Liber Samekh: Este é um ritual de invocação do Sagrado Anjo Guardião, que é considerado um aspecto da verdadeira vontade do praticante. É um dos rituais centrais na prática thelêmica e é conhecido por ser complexo e exigir um alto nível de dedicação e entendimento esotérico.
  3. Ritual de Banimento do Pentagrama: Adaptado da Ordem Hermética da Aurora Dourada, este ritual é utilizado para banir influências negativas e purificar um espaço mágico. É um dos rituais mais básicos e amplamente praticados no ocultismo moderno.
  4. Magia Sexual: Crowley era conhecido por incorporar práticas sexuais em seus rituais mágicos. Ele acreditava que o ato sexual, especialmente quando realizado sob certas condições ritualísticas, poderia ser uma poderosa ferramenta para a magia e para alcançar estados alterados de consciência.
  5. Rituais Thelemicos: Crowley desenvolveu uma série de rituais baseados nos ensinamentos de Thelema, muitos dos quais estão contidos em suas obras como “Magick in Theory and Practice”. Esses rituais variam em complexidade e propósito, abrangendo desde a celebração dos equinócios e solstícios até práticas mais profundas de meditação e invocação.
  6. Ritual da Missa Gnóstica: Este é um ritual central na Ecclesia Gnostica Catholica (Igreja Gnóstica Católica), que é a ala religiosa da Ordo Templi Orientis (OTO), uma ordem esotérica associada a Crowley. A Missa Gnóstica é uma cerimônia elaborada que simboliza a jornada espiritual do indivíduo.
Jimmy Page

Jimmy Page foi o único membro do Led Zeppelin que se interessou por Aleister Crowley e seus ensinamentos da Thelema (filosofia esotérica criada por Crowley). Os outros integrantes da banda não ligaram para isso. Jimmy Page manteve esse interesse para si mesmo sem envolver os outros, exceto talvez para explicar a magia dos símbolos na época do quarto álbum, aquele com os quatro ícones. O dele era o símbolo Zoso, cujo significado ele não revelou, o que é bom, se for de significado particular para ele, que continue sendo.

Principais Seguidores da Música Pop/Rock

Aleister Crowley influenciou diversos músicos ao longo do século XX e até mesmo após sua morte. Sua filosofia e imagem misteriosa atraíram artistas do mundo da música, particularmente aqueles envolvidos com o rock, metal e subculturas alternativas. Alguns músicos notáveis que foram influenciados por Crowley ou que expressaram interesse em seu trabalho incluem:

  1. David Bowie: Bowie foi conhecido por sua fascinação com o ocultismo e vários aspectos da contracultura. Ele mencionou Crowley em sua música e foi influenciado por muitos temas ocultistas em suas performances e persona artística.
  2. Jimmy Page: O lendário guitarrista do Led Zeppelin tinha um interesse notório por Aleister Crowley. Ele até possuía a Boleskine House, a antiga residência de Crowley, situada à beira do Lago Ness na Escócia. Page também incorporou referências ocultas em várias músicas do Led Zeppelin.
  3. Ozzy Osbourne: Ozzy escreveu a música “Mr. Crowley”, que aparece no álbum “Blizzard of Ozz”. A música reflete sobre a vida e a reputação de Crowley, demonstrando a influência que ele teve no rock and roll e no metal.
  4. The Beatles: Crowley foi uma das muitas figuras apresentadas na capa do álbum “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” dos Beatles. Essa inclusão refletiu o interesse do grupo em várias formas de espiritualidade e filosofias alternativas.
  5. Mick Jagger: Jagger, do The Rolling Stones, também demonstrou interesse pelo ocultismo e por figuras como Crowley. Embora sua influência não seja tão explícita quanto em outros artistas, há elementos de espiritualidade e misticismo em algumas músicas do Stones.

Esses músicos, entre outros, encontraram inspiração nas ideias de Crowley, seja diretamente através de sua filosofia de Thelema, seja mais genericamente através de seu interesse pelo ocultismo e pelo místico. A figura de Crowley, com sua mistura de misticismo, rebeldia e misteriosa persona, continua a ser uma fonte de fascínio no mundo da música.

About The Author

Compatilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved R. Rosental | Newsphere by AF themes.